Anexo

Início  Anterior  Próxima

ANEXO ÚNICO

 

HIERARQUIA DOS CARGOS COMISSIONADOS, QUANTITATIVO,

 

TABELA DAS GRATIFICAÇÕES.

 

 

 

SÍMBOLO

 

CARGOS

 

QUANTIDADE

 

VALOR UNITÁRIO

 

FTM-1

 

Maestro Titular Regente

 

3

 

1.500,00

 

FTM-2

 

Coordenador Corpo Artístico

 

3

 

1.200,00

 

FTM-3

 

Assistente Corpo Artístico

 

3

 

800,00

 

FTM-4

 

Primeiro Bailarino (Ballet)

Spalla (OSTM)

 

9

3

 

750,00

750,00

 

FTM-5

 

Primeiro Solista (Ballet)

I Solista (OSTM)

 

24

16

 

400,00

400,00

 

FTM-6

 

Segundo Solista (Ballet)

II (OSTM)

 

18

19

 

350,00

350,00

 

FTM-7

 

III Solista (OSTM)

 

21

 

300,00

 

Total de cargos Quantitativo

 

-

 

119

 

-

 

 

 

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ARTÍSTICOS DA FTM (BALLET DA FTM/RJ)

 

1 REGENTE

 

a) Coordenar as atividades inerentes à execução de coreografias, espetáculos de danças e ópera e eventos afins estabelecidos na programação na FTM/RJ.

 

b) Desenvolver atividades visando a permanente atualização técnica e ao aperfeiçoamento artístico.

 

c) Participar da elaboração da programação artística da FTM/RJ e, especialmente, propor a do Corpo de Baile (CBTM).

 

 

d) Indicar à Presidência da FTM/RJ nomes para a formação do Staff artístico e administrativo, inclusive de professores, coreógrafos e bailarinos convidados.

 

e) Propor a nomeação e/ou exoneração de solistas para os cargos artísticos do Corpo de Baile.

 

f) Estabelecer plano detalhado de atividades, elaborando tabelas de trabalho com a antecedência necessária à sua execução.

 

g) Coordenar e presidir a banca designada para promover a seleção e admissão de novos membros para o Corpo de Baile.

 

h) Cumprir e fazer cumprir as legislações aplicadas à Fundação, bem como as normas emanadas da Presidência, de suas Diretorias e Assessorias.

 

i) Zelar pelo patrimônio, unidade, disciplina e assiduidade do Corpo de Baile, bem como pelo seu nome e prestígio.

 

2 COORDENADOR DO CORPO ARTÍSTICO

 

a) Coordenar a execução da programação artística aprovada para o Corpo de Baile.

 

b) Zelar pela disciplina, assiduidade dos membros do Corpo de Baile e pela manutenção do local de trabalho, visando o bom andamento do trabalho.

 

c) Fazer interface com a Diretoria Operacional quanto aos artistas convidados, à produção dos eventos e à técnica, visando à préprodução dos espetáculos programados.

 

d) Zelar pelo cumprimento das normas disciplinares, propondo ao regente aplicação de penalidade, quando necessárias, de acordo com a legislação vigente.

 

e) Fazer o atendimento administrativo aos membros do Corpo de Baile e aos setores da FTM/RJ, bem como propor solução às solicitações internas e externas.

 

f) Comunicar, com antecedência, aos membros do Corpo de Baile, o dia, horário e local destinados às aulas, ensaios e apresentações de espetáculos.

 

g) Exercer outras atribuições concernentes ao CBTM delegadas pelo Regente.

 

3 ASSISTENTE DO CORPO ARTÍSTICO

 

a) Assistir e auxiliar o Coordenador do Corpo Artístico no desenvolvimento das atividades artísticas programadas.

 

b) Substituir o Coordenador do Corpo Artístico nos seus impedimentos e assessorá-lo no controle da freqüência e da disciplina.

 

c) Apresentar-se no local de trabalho com a antecedência necessária, visando dar condições indispensáveis para o início das aulas, ensaios e/ou espetáculos.

 

d) Disponibilizar, com antecedência necessária e em local de fácil acesso as tabelas de trabalho.

 

 

e) Disponibilizar o ponto para assinatura dos bailarinos com a antecedência necessária, evitando-se atraso no início dos trabalhos.

 

f) Executar outras atribuições delegadas pelo Regente e/ou o Coordenador de Corpo Artístico.

 

4 PRIMEIRO BAILARINO

 

a) Ser o responsável pela liderança cênica nos espetáculos de ballet e de ópera.

 

b) Desempenhar papéis para os quais foi designado, desde que compatíveis com o cargo de primeiro bailarino.

 

c) Participar de aulas de manutenção, ensaios, espetáculos de ballet e ópera.

 

d) Cumprir as determinações dos coreógrafos, maitre de ballet, ensaiadores e professores, no que se refere à técnica, caracterização e postura cênica.

 

e) Participar de banca examinadora para provas de seleção de novos bailarinos.

 

f) Comunicar à Direção do Corpo de Baile, com a antecedência necessária, sua impossibilidade de estar presente nos eventos, tem fundamental importância para promover sua substituição sem prejuízo para o espetáculo.

 

g) Realizar outras atividades que se incluam no nível de suas atribuições.

 

5 PRIMEIRO SOLISTA

 

a) Executar papéis de grande destaque nos espetáculos, com a necessária dedicação técnica e artística.

 

b) Ser responsável pela liderança de grupos dentro da cena de um espetáculo.

 

c) Participar de aulas de manutenção, ensaios, espetáculos de ballet e ópera.

 

d) Cumprir as determinações dos coreógrafos, maitre de ballet, ensaiadores e professores, no que se refere à técnica, caracterização e postura cênica.

 

e) Comunicar à Direção do Corpo de Baile, com a antecedência necessária, sua impossibilidade de estar presente nos eventos, tem fundamental importância para promover sua substituição sem prejuízo para o espetáculo.

 

f) Realizar outras atividades que se incluam no nível de suas atribuições.

 

g) Desempenhar papéis para os quais foi designado, desde que compatíveis com o cargo de primeiro solista.

 

6 - SEGUNDO SOLISTA

 

a) Executar papéis de destaque nos espetáculos com a necessária dedicação técnica e artística.

 

b) Desempenhar papéis para os quais foi designado, desde que compatíveis com o cargo de segundo solista.

 

c) Participar de aulas de manutenção, ensaios, espetáculos de ballet e ópera.

 

d) Cumprir as determinações dos coreógrafos, maitre de ballet, ensaiadores e professores, no que se refere à técnica, caracterização e postura cênica.

 

e) Comunicar à Direção do Corpo de Baile, com a antecedência necessária, sua impossibilidade de estar presente nos eventos, tem fundamental importância para promover sua substituição sem prejuízo para o espetáculo.

 

f) Realizar outras atividades que se incluam no nível de suas atribuições.

 

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ARTÍSTICOS DA FTM/RJ (OSTM)

 

MAESTRO TITULAR

 

a) reger a OSTM em ensaios e concertos, óperas e ballets;

 

b) dirigir e coordenar as atividades da OSTM de forma respeitosa;

 

c) participar da elaboração da programação artística e calendário da OSTM, propondo nomes de artistas a serem convidados, assim como o repertório a ser executado;

 

d) coordenar e presidir as provas de seleção para admissão de novos membros da orquestra, supervisionar e adotar medidas que visem à manutenção do nível técnico-artístico da OSTM, de modo que a mesma possa desempenhar-se a contento nas temporadas programadas;

 

e) incentivar a prática de música de câmera entre os integrantes da orquestra através de projetos que estejam dentro da carga horária de ensaio dos músicos;

 

f) cumprir e fazer cumprir as legislações aplicáveis ao Teatro Municipal, bem como as normas emanadas do Presidente e do Diretor Artístico do TM;

 

g) estabelecer o Plano Detalhado de Atividades com pelo menos dois meses de antecedência para a sua divulgação;

 

h) participar da orientação e coordenação dos trabalhos da OSTM;

 

i) propor a nomeação ou exoneração de músicos ocupantes do cargo de spallas e solistas da orquestra.

 

j) zelar pelo patrimônio, unidade, disciplina e assiduidade da

OSTM, bem como pelo seu nome e prestigio.

 

1 COORDENADOR DO CORPO ARTÍSTICO

 

a) coordenar a execução da programação da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal;

 

b) zelar pela disciplina administrativa da orquestra;

 

c) escalar o calendário de serviço dos instrumentistas superiormente determinado;

 

d) convocar os participantes das reuniões artísticas;

 

 

e) escalar o calendário de serviço do quadro de apoio da orquestra, de forma a permitir o bom funcionamento das atividades;

 

f) requisitar transportes para instrumentistas e materiais caso a orquestra atue fora do Teatro Municipal RJ;

 

g) substituir o controlador de ponto, se necessário;

 

h) afixar a relação nominal dos instrumentistas que devem participar das obras programadas, de acordo com o Maestro Titular, e zelar pelo seu cumprimento;

 

i) participar de reuniões com a Direção da OSTM, quando convocado;

 

j) fiscalizar e fazer cumprir as normas disciplinares estabelecidas no Regimento Interno da OSTM;

 

k) comunicar, por escrito, ao Diretor Artístico e Regente Titular, as condutas de ordem disciplinar praticadas pelos componentes da OSTM;

 

l) comunicar, com antecedência, aos músicos, o dia, horário, local e o traje a ser usado nos concertos;

 

m) orientar os montadores da orquestra;

 

n) inspecionar os locais para as apresentações da OSTM, tendo em vista as condições ambientais, iluminação e espaço físico;

 

o) supervisionar a arrumação de estantes e cadeiras nos locais de trabalho;

 

p) permanecer no local de ensaio durante as funções da OSTM;

 

q) encaminhar ao Diretor Artístico qualquer solicitação, sugestão ou reclamação proveniente dos instrumentistas;

 

r) avisar os instrumentistas sobre o momento de sua entrada no local de trabalho e dos horários de suas atividades;

 

s) providenciar junto à Diretoria Operacional do TM, o transporte dos instrumentos musicais, bem como dos componentes da OSTM ao local das apresentações;

 

t) responsabilizar-se pela solução de contratempos surgidos durante os ensaios.

 

u) providenciar boa iluminação e demais condições propícias à boa execução das atividades;

 

v) verificar se as partituras necessárias estão completas e devidamente colocadas nas estantes;

 

w) informar os horários de rotina da OSTM a maestros e solistas convidados;

 

x) exercer outras atribuições concernentes à OSTM, delegadas pelo Regente.

 

 

 

 

1 ASSISTENTE DO CORPO ARTÍSTICO

 

a) auxiliar o COORDENADOR DO CORPO ARTÍSTICO no desenvolvimento das atividades especificadas acima;

 

b) arquivar e catalogar os programas de concertos e apresentações;

 

c) providenciar solicitações de contratação e pagamento de artistas convidados;

 

d) digitar a documentação necessária ao desenvolvimento dessas atividades.

 

e) preparar documentos, orçamentos e correspondências;

 

f) manter atualizada a ficha técnica da orquestra, bem como o cadastro pessoal dos músicos e pessoal de apoio; encaminhar a ficha técnica de cada concerto à portaria do teatro;

 

g) revisar os nomes de todos os envolvidos com a OSTM nos programas de concertos;

 

h) substituir o Coordenador dos Corpos Artísticos da OSTM nos seus impedimentos e assessorá-lo no controle da disciplina e freqüência da orquestra;

 

i) afixar no quadro de avisos da OSTM e através de e-mails a programação mensal de atividades, sendo que alterações com menos de 24 (vinte e quatro) horas deverão ser notificadas por telefone.

 

j) Em viagens da orquestra, incumbe ainda ao ASSISTENTE DO CORPO ARTÍSTICO:

 

1. preparar folheto informativo com cronograma de viagem;

 

2. organizar e checar saídas dos ônibus e cronograma de viagem;

 

3. acompanhar o “check in” da comitiva nos aeroportos e nos hotéis;

 

4. providenciar empréstimo de instrumentos em viagem;

 

5. formalizar o pedido de cachê dos músicos, quando for o caso;

 

6. preparar distribuição de duplas em apartamentos;

 

7. organizar listas de passageiros para viagem e transporte de ônibus;

 

8. manter contato com músicos convidados.

 

1 SPALLA

 

a) liderar o naipe dos primeiros violinos e zelar por sua disciplina;

 

b) executar as partes dedicadas ao primeiro violino, inclusive com os solos determinados na partitura;

 

c) providenciar para que a afinação dos naipes da orquestra, em conjunto com primeiro oboé ou com aparelho eletrônico, seja realizada no início dos ensaios;

 

d) responsabilizar-se pela disciplina artística da OSTM em subordinação ao Maestro em exercício;

 

e) ser o interlocutor de seu naipe com o regente;

 

f) sugerir a escalação do naipe de primeiros violinos para cada função, comunicando-a com a devida antecedência à Direção da OSTM;

 

g) promover reuniões regulares com os Chefes de Naipe, fora do horário de ensaios, objetivando a uniformização de arcadas, dedilhados, respirações, dinâmicas e demais convenções inerentes à partitura;

 

h) entregar as arcadas ao arquivista com antecedência de duas semanas ao início dos ensaios, para a devida marcação em todas as partes do naipe;

 

i) participar das reuniões e bancas examinadoras determinadas pela Direção da OSTM;

 

j) zelar pela uniformidade da execução musical do naipe das cordas;

 

k) auxiliar o regente em todas as solicitações de caráter técnico musical e, no caso de maestro estrangeiro, transmiti-las para toda a orquestra;

 

l) estar previamente preparado para execução dos solos das obras sinfônicas constantes da programação.

 

1 I SOLISTA

 

a) zelar pelo bom rendimento artístico e uniformidade de execução de seu naipe, em subordinação ao Spalla em exercício;

 

b) ser o interlocutor de seu naipe com o regente;

 

c) zelar pela disciplina do naipe e fazer cumprir as orientações do regente;

 

d) executar as primeiras partes de cada naipe, inclusive com os solos determinados na partitura (cordas) ou as primeiras partes solistas (sopros, harpas, teclado e tímpano), estando previamente preparado para execução dos solos das obras sinfônicas constantes da programação;

 

e) sugerir a escalação dos respectivos naipes para cada função, comunicando-a com a devida antecedência à Direção da OSTM;

 

f) participar das reuniões e bancas examinadoras determinadas pela Direção da OSTM;

 

g) no naipe de cordas - entregar as arcadas ao arquivista com antecedência de duas semanas ao início dos ensaios para a devida marcação em todas as partes do naipe.

 

 

 

 

 

 

1 II SOLISTA

 

a) revezar com o chefe de naipe, quando necessário ou solicitado pelo Regente Titular ou Chefe de Naipe;

 

b) zelar pelo bom rendimento artístico e uniformidade de execução de seu naipe;

 

c) zelar pela disciplina do naipe e fazer cumprir as orientações do Spalla e do Regente;

 

d) estar previamente preparado para execução dos solos das obras sinfônicas constantes da programação.

 

e) executar as primeiras partes de cada naipe, inclusive com os solos determinados na partitura (cordas) ou as primeiras partes solistas (sopros, harpas, teclado e tímpano);

 

f) executar as segundas ou terceiras partes (sopros) quando de concertos sinfônicos ou espetáculos determinados pelo chefe de naipe ou Maestro Titular da OSTM.

 

1 III SOLISTA

 

a) formar a primeira estante junto ao I ou II solista no caso dos naipes de cordas, ou executar as segundas ou terceiras partes, no caso de sopros, inclusive com o uso dos instrumentos acessórios da família dos naipes.

 

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ARTÍSTICOS DA FTM/RJ (CORPO CORAL)

 

1 - MAESTRO TITULAR

 

a) reger o CTM em ensaios e, caso necessário, em concertos, óperas e ballets;

 

b) dirigir e coordenar as atividades do CTM de forma respeitosa;

 

c) participar da elaboração da programação artística e calendário do CTM, propondo nomes de artistas a serem convidados, assim como o repertório a ser executado.

 

d) coordenar e presidir as provas de seleção para admissão de novos membros do coro;

 

e) supervisionar e adotar medidas que visem à manutenção do nível técnico-artístico do CTM, de modo que o mesmo possa desempenhar-se a contento nas temporadas programadas;

 

f) incentivar a prática de música de câmera entre os integrantes do coro, através de projetos que estejam dentro da carga horária de ensaio dos músicos;

 

g) cumprir e fazer cumprir as legislações aplicáveis ao Teatro Municipal, bem como as normas emanadas do Presidente e do Diretor Artístico do TM;

 

h) estabelecer o Plano Detalhado de Atividades com pelo menos dois meses de antecedência para a sua divulgação;

 

 

 

 

i) participar da orientação e coordenação dos trabalhos do CTM;

 

j) zelar pelo patrimônio, unidade, disciplina e assiduidade do CTM, bem como pelo seu nome e prestígio.

 

2 COORDENADOR DO CORPO ARTÍSTICO

 

a) coordenar a execução da programação do Coro do Teatro Municipal;

 

b) zelar pela disciplina administrativa do Coro;

 

c) escalar o calendário de serviço dos músicos superiormente determinado;

 

d) convocar os participantes das reuniões artísticas;

 

e) escalar o calendário de serviço do quadro de apoio do Coro, de forma a permitir o bom funcionamento das atividades;

 

f) requisitar transportes para músicos e materiais, caso o Coro atue fora do Teatro Municipal do RJ;

 

g) substituir o controlador de ponto, se necessário;

 

h) afixar a relação nominal dos músicos que devem participar das obras programadas, de acordo com o Maestro Titular, e zelar pelo seu cumprimento;

 

i) participar de reuniões com a Direção do CTM, quando convocado;

 

j) fiscalizar e fazer cumprir as normas disciplinares estabelecidas no Regimento Interno do Coro;

 

k) comunicar, por escrito, ao Diretor Artístico e Regente Titular, as condutas de ordem disciplinar praticadas pelos componentes do CTM;

 

l) comunicar, com antecedência, aos músicos, o dia, horário, local e o traje a ser usado nos concertos;

 

m) orientar a montagem de palco;

 

n) inspecionar os locais para as apresentações do CTM, tendo em vista as condições ambientais, iluminação e espaço físico;

 

o) supervisionar a arrumação de estantes e cadeiras nos locais de trabalho;

 

p) permanecer no local de ensaio durante as funções do CTM;

 

q) encaminhar ao Diretor Artístico qualquer solicitação, sugestão ou reclamação proveniente dos músicos;

 

r) avisar os músicos sobre o momento de sua entrada no local de trabalho e dos horários de suas atividades;

 

s) providenciar junto à Diretoria Operacional do TM o transporte dos componentes do CTM ao local das apresentações;

 

 

t) responsabilizar-se pela solução de contratempos surgidos durante os ensaios;

 

u) providenciar boa iluminação e demais condições propícias à boa execução das atividades;

 

v) verificar se as partituras necessárias estão completas e devidamente colocadas nas estantes;

 

w) informar os horários de rotina do CTM a maestros e solistas convidados;

 

x) exercer outras atribuições concernentes ao CTM, delegadas pelo Regente.

 

3 ASSISTENTE DO CORPO ARTÍSTICO

 

a) auxiliar o COORDENADOR DO CORPO ARTÍSTICO no desenvolvimento das atividades especificadas acima;

 

b) arquivar e catalogar os programas de concertos e apresentações;

 

c) providenciar solicitações de contratação e pagamento de artistas convidados;

 

d) digitar a documentação necessária ao desenvolvimento dessas atividades.

 

e) preparar documentos, orçamentos e correspondências;

 

f) manter atualizada a ficha técnica do Coro, bem como o cadastro pessoal dos músicos e pessoal de apoio; encaminhar a ficha técnica de cada concerto aos órgãos competentes do teatro;

 

g) revisar os nomes de todos os envolvidos com o CTM nos programas e concertos;

 

h) substituir o Coordenador do Corpo Artístico do CTM nos seus impedimentos e assessorá-lo no controle da disciplina e freqüência do Coro;

 

i) afixar no quadro de avisos do CTM e através de e-mails a programação mensal de atividades, sendo que alterações com menos de 24 (vinte e quatro) horas deverão ser notificadas por telefone.

 

j) Em viagens do Coro, incumbe ainda ao ASSISTENTE DO CORPO ARTÍSTICO:

 

1. preparar folheto informativo com cronograma de viagem;

 

2. organizar e checar saídas dos ônibus e cronograma de viagem;

 

3. acompanhar o "check in" da comitiva nos aeroportos e nos hotéis;

 

4. formalizar o pedido de cachê dos músicos, quando for o caso;

 

6. preparar distribuição de duplas em apartamentos;

 

7. organizar listas de passageiros para viagem e transporte de ônibus;

 

8. manter contato com músicos convidados.